- Notícias

Greve dos caminhoneiros entra no 3º dia e causa reflexos no país

ECONOMIA

Paralisação já afeta 12 estados brasileiros; Correios suspenderam entregas agendadas do Sedex em todo o país.

Pelo 3º dia seguido, nesta quarta-feira (23) caminhoneiros continuam protestando em rodovias federais e estuadais, além de vias importantes de algumas capitais. Em alguns atos ocorrem diante de refinarias, impedindo a saída de caminhões-tanque.

Os caminhoneiros protestam contra a disparada do preço do diesel que faz parte da política de preços da Petrobras, em vigor desde julho.

Entretanto, a Petrobras anunciou nesta quarta que o preço do diesel deve cair 1,54% nas refinarias. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de cerca de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A paralisação afetou a entrega dos Correios que suspenderam temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Em comunicado, a estatal informou ainda que a paralisação também tem gerado “forte impacto” e atrasos nas operações da empresa em todo o país.

Pelo 3º dia seguido, caminhoneiros mantêm bloqueios em rodovias de Goiás em protesto contra alta do diesel (Foto: TV Anhanguera/Reprodução)
Veja a situação nos estados:

Alagoas

Caminhoneiros autônomos fazem mais um dia de protesto na BR-101, em Messias, na manhã desta quarta. Segundo os caminheiros, o protesto tem mais de 10 quilômetros de congestimento. O bloqueio é pacífico, os caminhões ocupam meia pista. Pelo bloqueio passam carros de passeio, ônibus e ambulâncias, além de cargas perecíveis.

Espírito Santo

Caminhoneiros continuam a fazer manifestações em pontos da BR-101, BR-262 e BR-259. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o bloqueio é feito apenas para caminhões.

Goiás

São 18 trechos onde o tráfego está impedido para veículos de carga nesta manhã, de acordo com a PRF. Os manifestantes afirmam que só vão liberar os pontos após negociação para redução do valor do produto, além da aprovação de uma lei que cria um valor mínimo para o frete para categoria.

Minas Gerais

Nesta quarta, no km 485 da Rodovia Fernão Dias, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, os caminhoneiros ocupam os dois sentidos da rodovia, mas o trânsito não é afetado porque há passagem em ambos os sentidos para outros veículos.

Maranhão

Caminhoneiros no Maranhão mantêm nesta quarta protesto em oito pontos nas rodovias que cortam o estado. Todas as manifestações acontecem sem interdição de rodovias e valem apenas para veículos de carga. Os outros tipos de veículos estão liberados.

Mato Grosso

Oito pontos de protesto são registrados nesta manhã nas rodovias federais de Mato Grosso. Os manifestantes colocaram cartazes, pneus e galhos sobre a pista.

Paraíba

Nesta manhã a interdição dos caminhoneiros atingiu a cidade de João Pessoa, na BR-101. No trecho próximo das Três Lagoas, na altura do bairro de Oitizeiro, os dois sentidos das vias estão bloqueados com caminhões. Apenas carros de passeio estão sendo liberados. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um local foi liberado desde noite desta terça-feira (22) e todas as interdições são parciais.

Paraná

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), havia 36 protestos nas estradas federais que passam pelo estado no começo desta manhã. O balanço foi atualizado por volta das 6h30. Não há interdições totais nas rodovias federais, conforme a PRF. Uma determinação judicial proíbe que os caminhoneiros fechem totalmente as estradas federais, sob pena de multa de R$ 100 mil por hora.

Pernambuco

Grande Recife Consórcio de Transporte anunciou uma redução de 8% no número de viagens realizadas pelos 3 mil ônibus que circulam na capital e na Região Metropolitana em dias úteis. A diminuição ocorre na manhã da quarta (23) e equivale a menos 200 coletivos circulando na área, ou seja, a frota utilizada é a mesma empregada durante as férias de janeiro de 2018.

Segundo o órgão, a redução é uma medida emergencial para evitar o desabastecimento de óleo diesel nas empresas que gerenciam o transporte público.

Rio de Janeiro

A greve dos caminhoneiros provoca falta de combustíveis em várias cidades do Estado do Rio de Janeiro. O diesel não chegou às garagens de ônibus, e motoristas enfrentaram filas em vários postos na madrugada desta quarta-feira (23). Às 6h53, caminhoneiros chegaram a bloquear quatro faixas da Avenida Brasil, no trecho entre Jardim América e Parada de Lucas, em direção ao Centro do Rio, interrompendo totalmente o trânsito.

O RioÔnibus, entidade que representa as empresas do setor, alertou na terça (22) que as ruas do Rio teriam menos veículos circulando. No Ceasa, alguns alimentos já registram alta nos preços por causa da dificuldade no transporte.

Na BR-101, há dois pontos de protesto: um em Campos, no km 75, e outro em Itaboraí, no km 296. Na BR-116, são três pontos: em Seropédica (km 204) e Barra Mansa (km 276), ambos na Via Dutra, e em Guapimirim (km 104), na Rio-Teresópolis.

Outros pontos de manifestação são: BR-393 (em Paraíba do Sul, no km 182, e, em Volta Redonda, no km 281) e BR-465 (em Nova Iguaçu, no km 17).

Consequências

Por causa da manifestação, a entrega de combustível nos postos e empresas de ônibus está sendo prejudicada. Com a falta de combustível, algumas empresas de ônibus anunciaram que devem reduzir a frota hoje no estado.

O RioÔnibus, sindicato que representa as concessionárias de ônibus do município do Rio, informou que ainda não há um balanço sobre a circulação dos coletivos nesta quarta-feria, mas que as concessionárias que tinham estoque de combustível nas suas garagens colocaram as frotas nas ruas. Algumas que não tinham estoque estão recorrendo ao abastecimento em postos de gasolina comuns.

A prefeitura divulgou nota ontem aconselhando a população a recorrer a transporte coletivo de massa, que não usam óleo diesel, como o metrô, os trens e o VLT (bonde que circula no centro da cidade). O MetrôRio, concessionária que administra o metrô, reforçou as equipes nas estações para receber um número maior de passageiros.

Rio Grande do Norte

Em mais um dia de protestos contra os constantes aumentos no preço do óleo diesel, caminhoneiros bloquearam um trecho da BR-304 na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, pneus foram colocados sobre a pista na altura do Km 33 da rodovia por volta das 8h30. Apenas uma faixa, em cada sentido, está livre para o trânsito.

Rio Grande do Sul

Durante a manhã motoristas de caminhão e de aplicativos se uniram para bloquear o acesso à refinaria Alberto Pasqualini (Refap) em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) são registrados diversos pontos de concentração de caminhoneiros em rodovias federais do Rio Grande do Sul, mas nenhum deles com bloqueio.

Santa Catarina

Os caminhoneiros voltaram a passar a noite às margens das rodovias e até as 7h30 pelo menos 31 pontos de atenção nas rodovias em Santa Catarina eram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

São Paulo

Caminhoneiros bloquearam totalmente os dois sentidos da rodovia Régis Bittencourt, em Embu das Artes, no km 279, perto do acesso ao Rodoanel. Os manifestantes atearam fogo em pneus e o congestionamento se estendia por 6 km no sentido São Paulo por volta das 7h.

 Fonte: G1 | Agência Brasil

About Assessoria de Comunicação

Read All Posts By Assessoria de Comunicação